sábado, novembro 12, 2011

11/11/11

Se o mundo fosse pra ter acabado ontem,teria acabado em água e eu estava nesse evento.

Moro em Osasco,porém estudo em Sto. Amaro e por conta disso eu pego trem. Até aí, sem problema algum! Eis que ontem de manhã eu ouvia no rádio que choveria à tarde em pontos isolados. Maaas como sempre chove lá pras 4-5 da tarde e a essa altura do campeonato eu já estaria em um lugar sã e seca,não levei guarda chuva (E mesmo se tivesse levado, com a chuva de ontem não ia me adiantar pra nada!)

Só sei que estava eu, no trem voltando, quando chego em Osasco, vejo o céu preto e caindo uma chuva razoavel...Mas até eu, eu não tinha me dado conta de quão forte estava a chuva até eu sair do trem... Saí, me molhei, subi as escadas correndo e com chuva e vento forte para chegar na estação de Oz e me deparar com uma multidão que simplesmente não saiu da estação por conta da chuva! Como ainda precisava trabalhar, resolvi passar por toda aquela gente (soy muy macha!) e descer as escadas.
Desci e quando desci, vi que ALI não estava alagado e,pensei: "Ah, tranquilo! Vou correndo até o lugar de sempre e espero meu pai me buscar!". Foi só eu começar a parte do "ir correndo" que me deparo com TODO o entorno da estação e do Lgo. De Osasco ALAGADO. Na verdade, TODO o centro da cidade estava alagando. Quando dei por mim, estava com águas um pouco acima do joelho e correndo pra algum lugar que não tivesse água, o que ficou meio que impossível... Até que cheguei no lugar onde meu pai me buscaria, para descobri que a rua estava interditada porque estava alagada e enhum carro passava e a avenida que fica antes dela,também estava alagada - me deixando preocupada, já que o meu pai poderia estar nela!
Com isso em mente, resolvi - mais uma vez - me aventurar na água para ver se encontrava meu pai...O que não deu certo, porque a situação só estava piorando... (e enquanto isso, o tempo pasando e nada de eu ir pro trabalho! Detalhe: era pra eu entrar as 16h...E eram 17h e eu ali, me acabando em água e barro).então resolvi ir até em casa, a pé...o problema foi que eu (e mais toda a toricda do flamengo) estava ilhada ali no centro!
Pra tudo quanto é lugar tinha água, estava impossível de passar! Tinha luagres em que eu me sentia como num naqueles filmes em que todo mundo está infectado ou morto e a cidade deserta, cheia de lixo pro chão e aquele caos todos? Pois bem, era assim que me sentia, pq tinha hora em que eu passava pro uns trechos desse jeito! Já em outros, eu me sentia numa manifestação,pelo tanto de gente que tinha e que reclamava!
Pois bem, passou um tempo (e eu andando pra lá e pra cá) que a aágua começou a baixar e eu pude tomar o rumo da casa de uns tios e primos que moram ali perto do centro. Foi quando reparo que não há semáforos funcionando...Imagina a situação da pedestre aqui? (Ñ só minha,mas enfim) Mais uam aventura para atravessar ruas e avenidas para chegar até a casa deles!

Cansada, molhada,fedida e morta de fome foi como cheguei até minha família! Lá, eu comi, tomei banho e esperei pelo meu pai (que a essa altura do campeonato sabia do meu paradeiro). Nem preciso comentar que para chegar até a faculdade (onde eu trabalho) levei mais ou menos uns 40 minutos, trajeto que faço em 10...

Ah e claro! Tudo isso eu passei com um mochila que continha um notebook com todos os meus trabalhos,mais revistas e alguns papeis importantes - isso você ignora e eu tbm!
(Obs.: notebook, revistas e papéis passam bem,grazadeus!)


E essa foi mais uma história de Jacqueline Silva e Silva, diretamente do mundo inundado!

1 comentários:

Fernanda Rodrigues (Fê_Notável) disse...

Muito, muito, muito tenso!
é lamentável a falta de estrutura das cidades brasileiras. =/

Ainda bem que vc, o note, revistas e papéis sobreviveram :)

Beijos


www.algumasobservacoes.blogspot.com
www.escritoshumanos.blogspot.com

Postar um comentário